ESTUDANTES CARIOCAS BRILHAM EM OLIMPÍADA INTERNACIONAL
Alunos ganham menção honrosa em uma das categorias

Quatro estudantes do Elite Rede de Ensino fizeram bonito, no fim de novembro, representando o Brasil na QUANTA 2018 (Olimpíada Internacional voltada ao incentivo do estudo e busca de destaques em diversas áreas pelo mundo como: Ciências, Matemática, Raciocínio Lógico, Debate, Robótica e Competição entre barcos).

Sob a orientação do professor Rafael Sabino, Samuel Godinho, Lucas Valente, João Victor Boechat e Marcus Miranda fizeram valer o esforço para chegar até Lucknow, na Índia, sede da competição este ano. Integrando a equipe chamada Return 0, os jovens conquistaram o primeiro lugar no Quiz de Matemática entre os estudantes estrangeiros.

Para chegarem a Lucknow passaram por muitos obstáculos: os alunos do Elite Rede de Ensino foram selecionados para compor a delegação brasileira, após colecionarem medalhas nas últimas Olimpíadas Brasileiras de Conhecimento. Ainda assim, os bons resultados nas competições nacionais não traduziam o passaporte carimbado para a Índia. Eles tinham de arrecadar 70 mil reais a fim de arcar com as despesas da viagem incluindo os gastos de toda a equipe.

Com a ajuda de uma vaquinha on-line que os próprios alunos lançaram, de patrocinadores e do Elite Rede de Ensino, o sonho virou realidade. O primeiro lugar no Quiz de Matemática, entre os estrangeiros, não foi o único triunfo.

Na competição de barcos, Samuel Godinho e Lucas Valente, receberam menção honrosa por conta da quinta colocação na classificação geral. A missão era construir um barco (20 cm por 30 cm) e em seguida disputar uma corrida.

“Nós tivemos de construir do zero um barco completamente autônomo com a maior velocidade possível, em um tamanho determinado e sem nenhum tipo de material pré-fabricado para a carcaça dele”, explica Samuel Godinho.

Experiência única
Além da experiência de participar de um evento internacional, representar o Brasil, crescer como estudante, a experiência adquirida nos nove dias de viagem foi algo bem destacado pela turma. A participação em programas deste perfil é primordial para os alunos irem além e estudarem cada vez mais.

“Tivemos um choque cultural ao chegar lá, é tudo muito diferente, desde o tráfego de veículos às pessoas, é um país muito pobre, mas com uma cultura muito forte. Para mim e para outros na equipe foi a primeira vez saindo do Brasil, e sair representando nosso país não teve preço, uma sensação única, algo que não se tem todos os anos, na verdade raramente acontece. E mais única foi a sensação de ganhar algo”, conta Godinho.

Segundo o professor Rafael Sabino, a participação na QUANTA foi um divisor de águas na vida de cada membro.
“Uma viagem internacional é sempre uma grande experiência. Agora, uma viagem para um país totalmente diferente do nosso, conhecendo estudantes da mesma faixa etária, vindos de todas as partes do mundo, e participando de uma competição que mostra para o aluno a aplicabilidade do que é aprendido em sala de aula é algo extraordinário. Esses meninos vindos de Caxias, Realengo, Bangu, e Santa Cruz tiveram suas vidas mudadas para sempre por meio da educação. As amizades e os conhecimentos farão deste evento um marco na vida de todos eles”, afirma Sabino.

Na volta, os estudantes brasileiros tiveram a oportunidade de visitar o Taj Mahal, na cidade indiana chamada Agra. Na parada em Londres, conheceram o centro da cidade e viram o Big Ben, que está em reforma. O pouco tempo por lá foi suficiente para a educação dos londrinos chamar a atenção, positivamente, dos alunos do Elite.