Acessibilidade é decisão de negócio
A consolidação de projetos de acessibilidade pode começar por você, através de simples ações. Leve o conceito de diversidade à sua organização.

Você já refletiu sobre o poder de influência das demandas sociais para as tomadas de decisões de uma empresa? Muitas vezes, a cultura organizacional é impactada pelas práticas vividas aqui do lado de fora. Neste movimento, temas como acessibilidade, inclusão e equidade ganham espaço no ambiente empresarial, mas este avanço pode ser tímido em boa parte das vezes. Ainda assim, o trabalho de formiguinha tem um papel importante, pois a mudança de comportamento muitas vezes acontece por ações que nascem individualmente, vão ocupando espaços, provocando reflexões e, principalmente, dando um sentido de coletividade para justamente atender as demandas sociais, consolidando ideias inclusivas.

No meio corporativo, ainda não é raro que as iniciativas a favor da acessibilidade sejam vistas como onerosas e pouco estratégicas. Em 2015, a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015.) dava esperanças de mudança de comportamento, afinal ela era (e é) destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.

Para os empresários que acreditam que incluir pessoas com deficiência faz parte do posicionamento do seu negócio é importante ter em mente que para dar o primeiro passo não é necessário recorrer à uma super tecnologia ou necessariamente a mudanças física radicais. O importante é ouvir demandas e incluir.

Seja qual for o seu porte, segmento ou área de atuação da sua empresa, há iniciativas simples para tornar o seu conteúdo, produto ou serviço mais amigável e inclusivo. Neste artigo, separamos alguns erros no ambiente web listados pela Cartilha de Acessibilidade na Web – W3C Brasil. Nós, da Usina da Comunicação, estamos buscando informação, ouvindo as pessoas, assumindo erros, mudando e buscando a inclusão para todas e todos.

Páginas com excesso de elementos

Afeta todas as pessoas com deficiência

O excesso de informações e de elementos gráficos em uma página está diretamente ligado à dificuldade de acesso, usabilidade e tempo de carregamento. Para os usurários de leitores de tela, por exemplo, este é um mix nada amigável.

Vídeos sem audiodescrição

Afeta principalmente pessoas com deficiência visual

Audiodescrição apresenta, precisamente, o conteúdo visual. Este recurso é indispensável para usuários com deficiência visual e pode auxiliar também as pessoas com deficiência intelectual.

Utilização de cores e recursos para transmitir informações

Afeta principalmente pessoas com deficiência visual em geral e daltonismo.

Cores e outros recursos visuais devem ser utilizadas para enriquecer a experiência, mas não como o único meio de passar a informação, como nos exemplos a seguir:

  • “Os campos marcados em vermelho apresentam erros”;
  • “Clique no botão ao lado esquerdo”;

Falta de um canal para o usuário reportar problemas com a acessibilidade

Afeta todas as pessoas com deficiência

Nenhum site está totalmente pronto para receber todos os públicos. Por isso, a primeira recomendação é a criação de um canal de comunicação acessível, pois facilita o envio de feedback dos usuários e você passa a identificar pontos de melhorias.

Alguns recursos usados pela Usina da Comunicação que já nos deram resultados tangíveis e são simples:

Uso da #PraCegoVer

As redes sociais são ferramentas democráticas, porém, nem todo conteúdo produzido é acessível a todos. Pensando em ir contra essa lógica, há aproximadamente dois anos e meio, nós aderimos a #PraCegoVer. Com este recurso, pessoas com deficiência visual ou baixa visão podem ter acesso ao conteúdo visual inserido em cada um dos nossos posts. A ideia é descrever detalhadamente cada foto, vídeo, ilustração e arte gráfica. Essa adesão já nos rendeu feedbacks que mostram o que parece uma simples # nada mais que inclusão digital.

Inclusão por meio de áudio

A Audima é uma plataforma que tem como objetivo gerar inclusão digital por meio do áudio. A tecnologia faz a leitura de todo conteúdo escrito disponível na internet e inclui pessoas com algum grau de deficiência visual e analfabetos. Neste período de pandemia da COVID-19, a empresa desenvolvedora chama atenção para a democratização do uso de tecnologia assistida. São milhões de semi-analfabetos, pessoas com dificuldade de visão e idosos que precisam de acesso à informação. Na Usina, usamos o recurso há uns três anos.

Pense nisso: um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar. Acessibilidade é responsabilidade de todos. Vamos juntos!

Fontes:

Palácio do Planalto:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Cartilha de Acessibilidade na WEB – W3C Brasil: https://www.w3c.br/Materiais/materiais/cartilha-w3cbr-acessibilidade-web-fasciculo-III.html

Audima

https://audima.co/

#PraCegoVer A foto registra um homem jovem cadeirante com dificuldade de subir para a calçada, pois nao tem rampa de acesso. A calçada fica em uma rua com pouco movimento de carro e de pessoas.