PACIENTES RENAIS TRANSPLANTADOS CORREM PERIGO
Falta de medicamento coloca em risco a vida dos pacientes

Os pacientes renais transplantados estão em desespero. A Ciclosporina, medicamento contra rejeição ao transplante, está em falta Brasil afora. A distribuição do medicamento está deficiente em diversos estados do país. A falta da Ciclosporina faz com que histórias de sucessos dos transplantes se tornem pesadelos, pois sem a medicação os pacientes irão morrer.

A Ciclosporina tem a compra centralizada pelo Ministério da Saúde e é distribuída pelos estados aos pacientes mediante indicação médica. Entretanto, o Ministério da Saúde vem atrasando o repasse de medicamentos e as Secretarias de Saúde Estaduais se omitem da delicada situação.

“O grande problema é o pós-transplante, pois a distribuição dos medicamentos contra rejeição é irregular em todo o país. A incompetente gestão do Ministério da Saúde vem atrasando o repasse dos medicamentos e as Secretarias de Saúde Estaduais se omitem. Os responsáveis não estão preocupados se as pessoas irão morrer em um processo de rejeição”, diz Gilson Nascimento, presidente da ABRASRENAL – Aliança Brasileira de Apoio à Saúde Renal.

O órgão transplantado é visto pelo sistema imunológico como algo estranho. Portanto, o uso dos imunossupressores – medicamentos que adequam o sistema imunológico e evitam a rejeição do órgão – é vital. Essas medicações devem ser tomadas de forma prescrita e são de uso contínuo, ou seja, diárias.

A ABRASRENAL solicitou a ajuda da Defensoria Pública da União, na figura do Defensor Público Federal – Daniel Macedo.